Novidades lindas!

Hoje deixo-vos com mais duas novidades da parceria Yard & Girls e Blues - ou melhor dizendo, da amizade Vanessa / Ana e Ana / Vanessa, essa coisa recíproca de duas pessoas que se gostam muitíssimo e que mutuamente se inspiram e riem e criam e fotografam (entre o trabalho de uma e o de outra) e avançam e retrocedem, e vão-se abaixo para levantar cabeça de seguida, como é normal na vida de todo nós. 

 A primeira novidade, e no seguimento do post de ontem, é esta outra clutch (link) que recebemos a semana passada e que inspira férias e descanso e refeições à beira mar e tudo o que há de bom e colorido no Verão!

(o poncho é Ali Jo de coleções passadas, o vestido é Zara e muito antigo, as sandálias Isabel Marant)

A outra novidade é este kimono patchwork que a Ana fez e que eu amei!!!!
óptimo para os vestidos, para os jeans, para os calções ou para usar por cima do biquini e ir ali num instante à esplanada da praia almoçar!
Ora vejam:

O kimono também já está na loja on line e é só clicar no (link)

beijos, beijos!

óbidos

Chegámos à hora de jantar e a vila parecia uma qualquer cidade de Itália que vemos nos romances, só apetecia sentar, pedir uma tábua de queijos e uma garrafa de vinho e por ali ficar até o frio da noite nos mandar embora. 

Ficámos instalados no Bom Sucesso, um empreendimento que era para ter sido uma coisa megalómana mas que ficou a meio, ou a 1/3, melhor dizendo.

Das 600 casas previstas, apenas 150 foram terminadas. Algumas são exploradas pelo Resort, outras têm os seus proprietários.

Cada conjunto de casas(não sei ao certo o número) tem uma zona de piscina e depois existem ainda as vivendas maiores com piscinas particulares.

As casas foram todas elas concebidas por diferentes arquitectos o que confere ao empreendimento uma aura de pequena cidade O campo de Golfe é enorme e, apesar dos pesares, o empreendimento consegue bastar-se (pelo menos assim parece) de forma a não se degradar.

A casa onde ficámos, para além de super confortável, estava equipada com tudo e mais alguma coisa. Do que mais gostei foi da cama gigante que mais parecia uma nuvem de tão macia que era e onde eu dormi para, à vontadinha, "3 15 dias"!

Na Sexta-Feira passamos boa parte da manhã a passear pela Vila, que é das coisas mais cuidadas e pitorescas que já vi. Mas convenhamos, não estou a dar-vos novidade nenhuma, toda a gente conhece Óbidos e acho que toda a gente concorda que é mesmo uma Vila linda de morrer, ou não é?
Fomos depois almoçar à Cabana do Pescador, na Foz do Arelho (onde também já vivi quando era bem pequenita) que é um restaurante despretensioso, mesmo em frente à praia, e com peixinho fresco!
O moinho do caminho para o Bom Sucesso
À noite voltámos à vila para ir jantar ao Comendador Silva, muito bem referenciado no Tripadvisor mas que nós achámos mais fogo de vista do que outra coisa (não comemos mal, até soube bem, mas não eraaaaa assimmmm naaaaada do outro mundo!
Sábado, quando o tempo se pôs mais quentinho, foi dia de não fazer NADA! Piscina o dia todo com um livro que devorei e graças ao qual apanhei um escaldão dos antigos, toda eu sou manchas vermelhas com dedos gravados na barriga na parte onde passei o protetor. Enfim, estou que nem posso com calor no corpo e a aguardar pacientemente que a coisa passe. Ao fim da tarde, e antes de irmos jantar às Caldas da Rainha - ao Meia Tigela (que recomendo muitissimo) fomos fazer um passeio e conhecer a praia mais próxima do sítio onde estávamos. Fomos dar à Praia do Rei Cortiço e ficámos completamente rendidos a ela. Uma extensão enorme de areia com arribas de uma cor linda. Voltamos no Domingo e foi lá que passámos o dia até o bem bom se acabar e ser hora de voltar a casa.
À hora de almoço "decidimos" (que é como quem diz, fui ludibriada com um é já ali) ir até à Aldeia dos Pescadores pela praia (bad, bad idea) e depois de caminharmos debaixo de torra por uns bons 20 minutos em que subimos e descemos e subimos e descemos, fomos (finalmente) dar a um tasco que de peixe não tinha nada (vá-se lá saber porque raio baptizaram aquilo de aldeia dos pescadores) mas onde, graças a Deus e a todos os santinhos que se juntaram naquela altura condoídos de nós, serviam umas ameijoas que, à falta do peixe assado na brasa, nos souberam pela vida e nas quais, por achar que tinha feito exercício qb, numa lógica de ganho/perda, mergulhei catrafeadas de pão com manteiga torrado como se aquela fosse a minha última refeição da vida.

Não admira que este ano, por comparação ao ano passado, transporte mais 3 kgs no rabo e outros tantos alojados em sítios de que nem vale a pena falar. A comer assim, gordalhufas, não te auguro bom futuro!

Nestas fotos aqui abaixo, armados em fotografo e modelo de trazer por casa,  ainda achávamos que a Aldeia era "logo ali" ao virar da esquina.

Só que não. :-/

Ainda andámos que nos desunhámos e para prova disso deixo-vos a última foto do fim de semana da cara de fomeca do homem "bússola" antes das famigeradas ameijoas e já depois do também famigerado "passeio_ bucólico_à_beira_mar" :)


Boa semana para todas!
beijinho!

AddThis