Do chão verde


Eles cultivam o chão de verde que os espelhos de água doce nos devolvem em toda a sua extensão, estilhaços de sol rasam-nos a pele e aquecem as palavras em aromas vínicos que se degustam no céu da boca, os fins de tarde ganham um tom rosa e a massagem no Spa do Hotel zera o dia com promessas de repetição.
Há magia nestas quintas, nestas gentes de mãos gastas, nos velhos que se juntam ao largo do rio a bater cartas, nas senhoras que escondem o juízo do sol com lenços frescos.

Foi um fim de semana para trazer à memória naqueles momentos em que, vestida de cinza, me queixo da vida.

Coisas que já não cabem nos armários


Era uma casa muito engraçada, não tinha armários, não tinha nada, ninguém podia viver nela não, porque na casa não tinha armários...

A despojar-se de coisinhas que já fazem monte lá por casa com consequências para a saúde de uma relação a dois (poisé) que pretende continuar a preservar com todas as forcinhas que ainda lhe restam nos bracinhos.


Um trapinho que não envergonha ninguém ...

não fosse custar 3 dígitos pornográficos:

475 eurinhos na
(singer22)

"Horas profundas, lentas e caladas"*


Que os dias de sol permaneçam nos nossos silêncios de leituras, de rio e de mar, de caminhos que fazemos juntos.

*Florbela Espanca

Daria Werbowy, ou ....



 .....ele há croquetes cá com uma pinta!

What a perfect day

... I'm glad i spent it with you

AddThis