# Bora comer fora? STASH - The sandwich room



Quem não gosta de experimentar coisas novas, daquela pequena ansiedade que antecede o conhecimento? 

Eu tenho cá para mim que é das coisas mais fantásticas que podemos levar de cá, esta coisa constante de ir descobrindo o mundo, seja de que forma for. 

E como não há mundo sem um bom prato de acepipes (como diz a minha mãe que gosta muito desta palavra e a usa para quase tudo), conhecer restaurantes novos é das minhas coisinhas preferidas (como, aliás, já se vai notando numa nádega ou noutra). 
Pois muito bem, foi mais uma vez imbuída desta alminha de viajante que hoje fui experimentar o Stash, do chef Pedro Lemos que resolveu abrir uma espécie de sala de sandes (por agora são apenas 5) um pouco diferentes das tradicionais sandes de lombo ou de atum (ah, e de delicias do mar que também tem muita saída) dando-lhes aquele toque de sandes especial porque vem da cabeça do chef e isso, meus meninos, não é para qualquer um! 

E perguntam vocês, e que tal, e que tal? 
Começando então pelas ditas sandes, tenho a dizer que a de sapateira é muito boa, sim senhora, o pão é tradicional e artesanal, sem produtos químicos, vem estaladiço q.b. o sabor é idêntico ao de um bom recheio da dita, a dose de sapateira propriamente dita também é bastante generosa e a mistura disto tudo dentro daquele pãozinho sabe bem e aconchega a barriga. 
A de atum é igualmente boa, o atum é de óptima qualidade e acompanha com guacamole que ajuda a cortar um bocado o sabor e confere uma textura suave ao palato. 
Acompanhei com um copinho de branco (porque há coisas das quais não devemos abdicar a bem do nosso lado osho e da felicidade interior) e o almoço soube-me mesmo bem!
Os preços das sandes são bastante razoáveis - desde 3,50 € a 8 € - assim como os das bebidas (um copo de vinho a 2 €)
Quanto ao espaço, achei-o sóbrio, sem pretensões mas pouco convidativo a ficar na converseta (e talvez a ideia seja mesmo essa uma vez que o espaço é pequeno), não há sobremesas nem cafezinho (pelo menos pareceu-me) , por isso foi comer e andar para uma esplanada que o dia está de sol e a vida acontece é na rua.

N.B: aquela cara meia abazurdida retratada mais acima nada tem a ver com o vinho, cross my heart and swear to die!

N.B 2: aquele relógio tan lindo também ele acima retratado foi a prenda de Natal do mê rapá, porque o Natal é quando uma gaja quiser e a mim pareceu-me bem que tivesse sido no fim de semana passado (gosto pouco de prendas/embrulhos guardados à espera da noite da consoada, é cá um desperdício de tempo!)

O Stash fica no número 60 da Praça Guilherme Gomes Fernandes (na Praça da Padaria Ribeiro, ao lado do restaurante de sushi Kioto, para quem é do Porto) e está aberto a partir do meio dia.

Passem por lá que vale a pena!

5 comentários:

  1. Ai Bánéssia, c'a fomee mulher!!! E eu aqui no meio destes 'alemões' que acham que uma mini baguete recessa com uma tchautchicha com o dobro do tamanho é comida de gente grande. Têm muito que andar!!

    ResponderEliminar
  2. Deus ma libre se tivesse de viver confinada a uma sande de tchautchicha! o que te vale é o chef que vive em ti e que te alimenta a ti e ao teu rapaz!

    ResponderEliminar
  3. O restaurante tem um ar agradável e as sandes um aspecto maravilhoso!

    MORNING DREAMS

    Sofia Silva, Beijos*

    ResponderEliminar
  4. Fiquei muitooo curioso! Tenho de ir experimentar :)
    *

    ResponderEliminar
  5. Would love to hang out at those places

    ResponderEliminar

AddThis